terça-feira, 14 de abril de 2009

Eu e as perguntas de Gabriel

Hoje acordei com um remorso do cosmos ainda maior do que o de ontem.
Pensei numa maneira de sumir sem deixar vestígios...
Não consegui. Os muros dentro de minha cabeça desabam.
Soterram meus olhos apagados...
Perco o pulso e enterro-me nos meus escombros.
Minha mãe diz "amém",
Deveria dizer AMEM.
Minha mãe falou de grana; gritou "vagabundo" com o dedo na minha cara...
E como sou fraco para elogios,
chorei.

Gabriel e eu fomos à sua escola.
Ele Perguntou sobre dinossauros, ovni's, seres do espaço e afins...

Depois veio falando que o guarda-chuva arrancaria o seu braço se
uma rajada de vento viesse muito furiosa! E que o T-REX o comeria inteiro,
pois, sentiria o cheiro do sangue e veria o que sobrou do braço dele ao chão...

Depois ele perguntou se eu gostaria de ser um dinossauro do espaço que voaria em naves
e comeria os menores...

Fiquei bestificado com toda a força imaginativa de um menino de sete anos...
Eu como tio coruja que sou, enchi os olhos de lágrimas... uma delas decidiu chamar a atenção do pequeno Gabriel...

- Tá chorando tio Rafa?
- Mais ou menos...
- Tá doendo em algum lugar? Eu tô com o dedo cortado mas nem tá doendo, viu?!

Rimos um pouco. Depois ele refez a pergunta... Eu disse que gostaria de ser um "dinossauro do espaço que voaria em naves e comeria os menores..." posto que qualquer coisa é melhor do que ser um medíocre humano.

- O que é medíocre, tio Rafa?
- Sou eu, meu sobrinho, sou eu...

Um comentário:

  1. estou quase chorando meu caro
    mais um pouco e vc consegue...
    abraços!

    ResponderExcluir